Mesmo com apenas 30 anos, a idade já nos ensina onde estão os osso todos do corpo

É oficial,
com o avançar da idade, vamos dando-nos conta de que isto não se trata, como pensávamos aos 10, 15 ou mesmo 20 anos, de um grande monte de borracha maleável e resistente a que chamamos corpo.


Se há coisas que começam a ser tacitamente claras aos 30, esta é uma delas.

Depois de um jogo de futebol, de uma corrida intensa ou de uma partida desgastante de pingue-pongue (e quem sabe jogar pingue-pongue sabe que não estou a brincar aqui), isto para quem já não praticava há algum tempo - em todos estes e mais 101 casos descobrimos músculos de que já nos esquecêramos e, no dia seguinte, de ossos e nervos que nunca algum dia sentíramos.

Passamos a comentar as dores uns com os outros, para saber se é normal e tirar dúvidas da melhor pomada para acelerar a resolução disto. O que não é mau. Significa que ainda temos a estaleca para praticar desporto a nível desgastante depois de 1 ano inteiro sentados no sofá.

Somos loucos. Claro.
Mas fisicamente ainda extremamente capazes.
Daqui a mais uma década, pura e simplesmente, se o fizermos estaremos no médico no dia seguinte...

Por isso não podemos queixar-nos.
Vai sendo um processo de adaptação a uma nova realidade, que nos está a preparar para a ineficácia e, finalmente, a refoma.

A maior lição de todas? Aproveita enquanto podes!
Já.

POSTED BY Ricardo Tomé
DISCUSSION 1 Comment

Regra n°1 para andar em pé nos comboios:

Depressa!
Andar depressa é muito melhor que tentar fazer os corredores devagar.
Isto para além do efeito estético, que sai prejudicado ao andarmos devagar e parecermos:
- bêbados
- tarados desesperados à procura de uma desculpa para cairmos em cima de uma miúda qualquer com as mãos abertas.

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 1 Comment

Maravilhas de estar em férias #2

Acabar a season1 do The Wire em 4 dias. E agora? Allô? Primão? Cadê as 2 e 3? Não queres dar um pulinho aqui 300km acima? Vá lá...


via N97

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 1 Comment

Maravilhas de estar em férias #1

Damos por nós, de repente, a saborear a comida com calma. Verdadeiramente a comer sem pressas. Nem tanto algo planeado. Mas mesmo porque acalmamos. O tempo deixa de amedrontar. O tempo deixa-se estar.

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Séries TV à noite

Existe qualquer coisa de mágico que tipos como eu e da minha geração descobriram com a partilha de séries de culto e subsequentes noitadas em casa a devorar episódio atrás de episódio.

Deixar a noite cair bem densa e entrarmos no mundo de séries como a mais recentemente chegada cá a casa, The Wire, tem muito de inebriante e muito mais ainda quando se tratam de séries que atravessam dezenas de familiares e amigos e com quem vamos trocando dicas sobre personagens e enredos.

Algo só verdadeiramente possível, desta nova forma, nesta primeira década, fruto de sistemas de partilha de ficheiros, ao ebay e à Amazon e ao reduzido preço que alcançou o Dvd.

O mundo tornou-se uma aldeia mas os nossos amigos na sua maioria continuam a ser daqui. O que nos vai unindo permanece local mas igualmente global, um local que assumiu como local narrativas, figuras e espaços globais, algo que outrora era uma percentagem reduzidíssima e hoje tem-se avolumado.

A nossa infância, juventude e maturidade sempre se fez dessa partilha de elementos globais partilhados pelo cinema e depois pela tv. Mas hoje a net fezz avolumar o seu número e para além dos caramelos espanhóis passaram a fazer parte de uma identidade e vivência comuns de entre todos nós os personagens de jogos e séries e espaços web que já nem sabemos dizer muitas vezes o país de origem.

São tempos assim. Nem melhores nem piores. São simplesmente assim. Hoje assim. Amanhã de outra maneira qualquer.

via N97

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

TOY STORY 3 - trailer do filme


Vem aí o "Toy Story 3", um regozijo para saudosistas como eu que desde os anos 90 se agarraram ao cinema de animação da Pixar, brilhante no esgrimir do detalhe nos argumentos e de excelentes personagens.

A primeira trilogia da Pixar fica, assim, entregue ao seu filme que verdadeiramente rompeu com as dúvidas do que viria a ser o cinema de animação, despoletando nos anos vindouros forte investimento quer na Disney juntamente com a Pixar, quer nas empresas directamente concorrentes, quer um pouco por toda a indústria, que viveu ali durante uns anos a era da maluquice.

Felizmente, hoje, há espaço para todas as formas de animação, em cinema.
Mas venham de lás esses ossos, sheriff Woody e Buzz Lightyear.
Até ao infinito, e mais além.

PS:
o teaser já está disponível no site, aqui mesmo e em português. Uau! »

POSTED BY Ricardo Tomé
DISCUSSION 0 Comments

O que levar de férias?

Falta apenas uma semana, e dou por mim a começar a preparar algumas coisas.
Poucas, que isto de ser português...

Contudo, entre o escasso tempo que sempre sobra para quem conduz nas viagens e para quem tem 2 filhos, valha-nos conseguir dormir pouco. E nisto, o que levar para aproveitar essas horas?

Nem hesitei.

Arrebanhei 2 livros que me emprestaram para a mala e, de seguida, aqui estou eu, a derreter a minha net e a descarregar umas boas duas dezenas de Ted Talks e a despejá-las inteirinhas para o N97.

=D

POSTED BY Ricardo Tomé
DISCUSSION 0 Comments