"Portugueses gastam menos 22,7% em compras este Natal"... É A CRISE!

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

UploadLisboa 2010 - sábado dia 11 pela manhã com "Social Media... TV"

ideias e sugestões são aceites e ainda vêm a tempo
;)

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

MailOnline: what is the secret of its success?

The BBC is the country's most popular news website but Yahoo is second (ahead of MailOnline) and MSN news is larger than the Daily Mirror's site. A growing number of consumers get their news and information from social media sites such as Facebook, which now accounts for one in every six page visits in the UK, according to Experian Hitwise. When Facebook went down for two hours recently, MailOnline's traffic increased by 25%.

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

publicidade - da velha Tv para a nova Tv

Just two years ago, Sorosh Tavakoli showed informitv a demonstration of its online video advertising platform on a laptop. It looked promising but the prospect of entering a market dominated by companies like Google appeared daunting.

In March 2010 his start-up company received £3 million in venture capital investment and it now employs 35 people. Richard Titus, the co-founder of Schematic and a former controller of future media at the BBC, has joined as a non-executive director. The company, which is based in Stockholm and London, has also signed RTL as a client, among other broadcasters.

“We’re seeing the market just exploding for us,” says Sorosh. “The new TV is really happening. The reason we exist is the big shift in consumption going from the old TV to the new TV. The old TV is linear broadcast — everyone gets the same adverts. In the new TV world it’s on demand, it’s delivered by IP, it’s interactive, and it can be on any screen. The advertising also needs to be dynamic. The way the new TV will be monetised will be quite different from the old TV.”

“When we started we were very much a niche player. A lot of the potential clients we talked to saw online video as a niche thing within their online offering. They were only publishing video on their web sites in a flash player. Some of them were syndicating content. Now everybody already has or plans to launch iPhone apps, android apps, or an HTML 5 version of their web site. They syndicate content to Xbox and PlayStation, and they’re thinking about YouView. This is no longer just a part of their web site. It’s something on its own.”

Videoplaza sees this as a significant opportunity because it believes established online display advertising solutions, such as DoubleClick, now owned by Google, do not adequately address the requirements of video across all these platforms.

Clients are also suspicious. “Most of our clients don’t like Google. They believe Google is evil because they’re eating their lunch. Many of the publishers we talk to that are not comfortable with Google stealing their revenues and having access to all their data.”

The founder of Videoplaza recognises that Google, which through YouTube is the leading player in online video, has enormous resources with which to compete. “I assume they will at some stage say they need to be in this space and buy their way in.”

He does not concede the prospect of selling out, just yet, so how does Videoplaza differentiate its platform?

“It’s a technology play — pure software as a service. We’re always on the side of the publishers. We are enablers. We enable them to use their inventory in the most efficient way. We don’t compete with them in terms of selling ads. They simply pay us for serving the ads. The more ads they serve, the more they pay us.”

At the moment, he says, online video adverts are generally sold by the online team, but this function is beginning to merge with the main airtime sales business.

Many broadcasters can sell as many as they can deliver and maintain good cost per thousand rates. “You always hear two different things,” he jokes. “If you speak to the agencies, they say they never pay more than ten quid. Then the broadcasters say they never charge less than twenty. So it’s somewhere around £15-20. Then there are always advertising networks doing £7-10.”

With broadcasters and other video publishers experimenting with other monetisation models, Sorosh does not believe that they will rely exclusively on advertising revenue. “They don’t need to,” he says. “They may have a mixed model. I’m not advocating that advertising is the only way. I think we’ll see freemium being the model moving forward. It’s all about finding the right recipe for you and your content.”

Videoplaza started out supporting Flash but now also supports Silverlight and HTML5. “We very much believe in HTML5,” he says. “We see it as becoming an open standard. It’s not even a standard yet. We really hope that’s where things will end up but for the coming couple of years Flash will be very dominant.”

With the ability to deliver video to the television screen, online video advertising is being taken more seriously. “We’re waiting for the killer app for the living room. We know it’s going to come. No-one will know who the winner will be. It could be YouView. It could be Apple TV, Google TV, Boxee, or maybe none of them, maybe another one five years down the road. That’s when we see the big budgets shifting from the old TV to the new TV.”

Sorosh Tavakoli, the founder and chief executive of Videoplaza, was interviewed by William Cooper exclusively for Connected Vision © 2010 informitv.

www.videoplaza.com

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 1 Comment

iPad à venda em Portugal já amanhã?

e o cúmulo da trapalhice... lol

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

tablets abaixo dos 250 euros... já começou - - YES!

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Anúncio: um sorriso que pára uma cidade - São Paulo / brastemp

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Natal Coca-Cola

Ele aí está, em primeira mão, o spot publicitário de Natal da Coca-Cola.
;)

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

OT2010 - em directo com os 15 concorrentes em exclusivo para a web depois do final da gala de hoje em www.rtp.pt/ot

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Operação Triunfo 2010: a minutos do arranque, o ambiente nos corredores em volta do estúdio

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

OT 2010 - estreia hoje! E já estamos em ensaios ;)

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Operacao Triunfo 2010 - estreia das galas hoje com emissao exclusiva de camara web em www.rtp.pt/ot

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Estreia Operação Triunfo! Hoje. Com camara exclusiva e live.chat para a web em www.rtp.pt/ot

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

NOVO MySpace

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

YouTube - Old Spice Responses Case Study

Old Spice Responses Case Study

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Andy Grammer

o melhor mesmo é que isto é uma forma de colocar as pessoas a repetir a experiência - vide: aumentar a repetição de escuta da música, factor essencial para 'entrar no ouvido'.
;)

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Vídeo: 4 golos de Cristiano Ronaldo

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Pós-Graduação em SOCIAL MEDIA MKT

Meus caros, muito me apraz comunicar que a 1.ª reunião do grupo docente já teve lugar e que estamos extremamente entusiasmados com este projecto.

Melhor de tudo, contem com uma pós-graduação dada por pessoas que acreditam na Media Social, mas que nunca descurarão de lhe apontar os defeitos e até mesmo aqui e ali a colocar em causa. Aprendamos, portanto!
=D

Link para a pós-graduação:
http://www.iade.pt/default.aspx?SqlPage=content&CpContentId=286940

POSTED BY Ricardo Tomé
DISCUSSION 0 Comments

como serão os próximos 5 anos em termos da Media Social?

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Pós-Graduação SOCIAL MEDIA MARKETING

 

Pós-Graduação
SOCIAL MEDIA MARKETING*

 

Coordenador: João Lemos Diogo

 

 

As redes sociais são o novo espaço público. Uma nova dimensão de diálogo a nível global. A Web social assume-se como uma nova janela de oportunidades para as empresas. Mas também representa uma dor de cabeça para as marcas que não sabem como participar nesta nova forma de dialogar. Saber como criar valor a partir das redes sociais tornou-se uma competência fundamental para todos os profissionais. Uma especialização única assegurada pela Pós-Graduação em Social Media Marketing que reúne os melhores profissionais e as empresas que lideram a Web Social.

 

Parceiros:

 

 

Porquê fazer esta Pós Graduação?
As redes sociais não só vieram para ficar, como são já uma nova forma de comunicar. A evolução da Internet levou a Web para uma nova dimensão. Deixou de ser apenas um canal de comunicação e distribuição, de importância inegável para a maioria das marcas. Passou a ser o ponto de encontro e de partilha. O espaço público das sociedades desenvolvidas. Um novo espaço social, à escala global.


É neste contexto que as marcas procuram respostas às novas questões. Como criar valor numa nova dimensão social, onde a publicidade tradicional não é bem acolhida, e cada vez menos eficaz? Como podem as marcas dialogar com os seus consumidores, numa conversa que é liderada e controlada por eles próprios? E como se pode articular um meio disruptivo e inovador, com a visão ainda industrializada da maioria das organizações?


Estas e outras questões, são o ponto de partida para a Pós Graduação em Social Media Marketing. Um curso que assegura aos seus alunos a aquisição das técnicas de marketing mais relevantes e eficazes para criar marcas mais fortes nas redes sociais. Articulando as mais importantes abordagens teóricas, com a aplicação prática a variadas marcas de diferentes sectores, este curso garante aos seus alunos o domínio e uma especialização única na gestão das redes sociais.

 


O que torna esta Pós-Graduação diferente?
A maioria dos cursos aborda a Internet num sentido muito generalista: do comércio electrónico ao webmarketing, dos direitos de autor à publicidade online, do design gráfico à programação. Esta Pós-Graduação tem uma preocupação mais objectiva e concreta: a gestão das redes sociais. E por isso, seleccionou as competências mais importantes e fundamentais para gerir marcas na Web social. Desta maneira, os alunos têm a certeza que vão apenas abordar as variáveis que são fundamentais para gerir e criar valor nas redes sociais.


A par do rigor científico e académico das várias unidades curriculares, esta Pós Graduação seleccionou ainda um corpo docente 100% composto por profissionais na gestão de conhecimento e das plataformas da Web Social. Desta maneira, este curso assegura que os seus alunos terão uma formação eminentemente prática e orientada para as necessidades das empresas, propondo as melhores soluções, para os problemas reais das organizações.


Aos alunos da Pós-Graduação em Social Media Marketing, é ainda assegurado um contacto directo com algumas das principais empresas que lideram a Web Social. Assim, este curso assegurou parcerias exclusivas com o Facebook, Google Portugal, Marktest, RTP, SAPO e Portugal Telecom, entre muitas outras empresas. Através de workshops intensivos, os alunos vão dialogar e trabalhar directamente com os líderes que marcam as tendências e a evolução futura da Web social, em Portugal e no Mundo.

 

 

Objectivos:
No final desta Pós Graduação todos os alunos serão capazes de dominar as técnicas mais relevantes para potenciar e criar marcas com mais valor a partir da Web Social.

 

  • Conhecer as necessidades, comportamentos e motivações dos consumidores online;
  • Aprender a diagnosticar e a definir um modelo e uma presença estratégica nas Redes Sociais;
  • Criar valor a partir dos relacionamentos criados na Web social entre a marca e os seus públicos;
  • Conhecer os principais e mais recentes casos de estudo de marcas nacionais e internacionais;
  • Aplicar com eficácia as mais comprovadas técnicas e campanhas de marketing para a Web social;
  • Construir e aplicar um plano de marketing e de gestão da marca aplicado às redes sociais.

 

 

Estrutura da Pós-Graduação:

Competências/
Curso

Conteúdos Genéricos

Carga Horária

Gestão Estratégica de Redes Sociais

  1. Estrutura e arquitectura das redes Sociais
  2. Selecção dos melhores canais para o diálogo com as marcas
  3. Definir e implementar um plano estratégico para a Web Social
  4. Gestão do Mix da Media Social
  5. Plano de marketing adaptado à Web Social

30h

Social Media Brand Marketing

  1. A Media Social no Mix de Comunicação
  2. A gestão da marca na Internet
  3. Criação de notoriedade e valor através das redes Sociais
  4. A comunicação da marca na Web Social
  5. Estratégias de gestão da marca nas redes sociais

20h

e-Consumidores

  1. O comportamento de consumo online e offline
  2. As motivações e retracções na Web social
  3. Os novos Grupos de consumo e de influência na Web
  4. As novas regras de segmentação e posicionamento

15h

Social Media Metrics

  1. Definição de objectivos e audiências
  2. Novos públicos e principais targets da Media Social
  3. Métricas para conteúdo, relevância e impacto
  4. Principais ferramentas de aferição e avaliação da Internet
  5. Desenvolvimento de uma estratégia de aferição de métricas tangíveis e intangíveis

15h

Activação e gestão de comunidades

  1. Potenciar a lealdade das marcas através das comunidades
  2. Construção, activação e gestão de comunidades online
  3. Definição e implementação de um plano de Community Building

20h

Social Media
Web Design

  1. Impacto do design no sucesso das acções de Media Social
  2. Social Networking Design: regras e princípios
  3. Usabilidade e experiência de consumo e interacção
  4. Integração do design da marca nas redes sociais
  5. Casos de estudo e exercícios de aplicação prática

15h

Social Networking Software

  1. Principais plataformas de software social e colaborativo
  2. Definição e selecção das melhores ferramentas de edição e comunicação online para empresas
  3. Selecção, definição e instalação em função da estratégia para as redes sociais

15h

Projecto aplicado

Aplicação prática das diferentes competências, técnicas e modelos apreendidos durante o curso com a realização de um plano integrado de Social Media Marketing, aplicado a uma empresa ou a uma marca

  1. Definição e implementação da estratégia mais adequada para a marca
  2. Criação de vantagens competitivas para a empresa através das redes sociais
  3. Definição do modelo de participação da marca na Web Social
  4. Criação e implementação de um plano de Social Media Marketing ajustado à empresa, ou às marcas de consumo.

20h

Workshop
“Web Analytics em Portugal”

  1. Segmentação e definição de audiências na Internet Portuguesa
  2. Aferir o sucesso de uma campanha na internet e avaliar o quadro de retorno possível
  3. Definição de metas e objectivos em linha com a estratégia da marca
  4. Conhecer as principais ferramentas nacionais de medição e avaliação de audiências na Internet

Participação especial: Marktest

2h

Workshop
“Build a Social Media Campaign”

  1. Conhecer as técnicas mais eficazes para activar uma campanha no Facebook
  2. Conhecer os principais casos de estudo nacionais e internacionais

Participação especial: Facebook

2h

Workshop
“Tendências e Inovação na Web Social portuguesa”

  1. Modelos de desenvolvimento do Maior portal nacional
  2. Ferramentas de comunicação e activação de comunidades com recurso a ferramentas portuguesas
  3. Gestão holística das redes sociais em Portugal

Participação especial: SAPO

2h

Workshop
“A Comunicação Social na Web Social”

  1. Comunicação social na Web social: oportunidades e desafios
  2. As fontes, o diálogo e o controlo da notícia nas redes
  3. Quando as marcas são a notícia na Web

Participação especial: RTP

2h

Workshop
“Potenciar o Capital da Marca através da Internet”

  1. Definir um mix de comunicação na Internet e nas redes sociais
  2. Executar uma estratégia de activação da marca a nível global
  3. Avaliar e aferir o retorno ao nível das acções, lealdade influências e consumo

Participação especial: Google

2h

 

Ano lectivo com uma carga horária total de 160 horas, dividido por 2 semestres.

 

Os participantes no programa obterão um total de 30ECTS (Créditos Académicos) que poderão utilizar posteriormente na conclusão da licenciatura / mestrado, à luz do novo enquadramento legal do Processo de Bolonha.

 


Realização das sessões e horário
Curso de frequência em regime Pós-Laboral.
Terças e Quintas-feiras, entre as 19h00 e as 23h00.

 

 

Corpo Docente (síntese curricular)
João Lemos Diogo, Responsável Marketing Corporativo e Gestão de Marca na RTP

Licenciado em Marketing e Publicidade pelo IADE, detém uma pós graduação em e-Business pela UAL e um MBA pelo ISCTE. Possui um Mestrado em Gestão de Empresas pelo ISCTE, com especialização na área da Gestão de Marcas e Capital da Marca. Prepara um doutoramento na área do capital da marca (brand equity).
É autor do livro «Marcating – Gestão Estratégica da marca», editado em 2008. Profissional activo nas áreas de marketing e gestão de marcas desde 1992, em empresas como a Sonae Distribuição, Impala Editores, Jazztel, Initiative e Brand Connection. Actualmente é responsável pela área de marketing Institucional e de Televisão da RTP, sendo responsável pela coordenação da gestão das marcas RTP1, RTP2, RTPN e RTP Memória. É docente das unidades curriculares de Gestão de marcas no IADE, e no IPAM em Lisboa, e coordenador da Pós-Graduação em Branding e Gestão de Marcas.


Francisco Pereira – Director de Research Carat Portugal e Social Media Consultant at Upageit

Formado em Marketing pelo Instituto Português de Administração de Marketing – IPAM, tem ainda uma especialização em Gestão de Negócios na Internet pela Universidade Católica Portuguesa. Trabalha activamente há 16 anos na área de Research de Agências de Meios, tendo integrado departamento de research de empresas como a TMP (The Media Partnership); Tempo Media/Tempo OMD; Carat. Desde sempre ligado ao Research e Planeamento de Media, esteve em contacto ou envolvido no planeamento estratégico de marcas/anunciantes como Unicer, Fima, Iglo, Lever-Elida Gibbs, Lever-Detergentes, Henkel, Ausónia, Portugal Telecom, Renault, Centralcer, TMN, Johnson & Johnson, Philips, Montepio Geral, Cofidis, Kellogs, GSK. É colaborador ocasional de Revistas/Jornais da área da Media e Publicidade – Meios e Publicidade, Briefing, Diário Económico, Jornal de Negócios, Expresso, Agência Lusa; é ainda orador convidado e conferencista regular em diferentes encontros e seminários.


Director de Research da Carat, pertencente ao universo AEGIS Media, que engloba em Portugal as unidades Carat e View/Isobar a unidade Digital.  Participa em termos Internacionais (Grupo Carat), em grupos de trabalho, para áreas como Research, Interactive e Novos Projectos. Social Media Consultant em alguns projectos (Upageit; Prodidáctico). Membro da ESOMAR – European Society for Opinion and Marketing Research - ESOMAR  desde Janeiro de 1996. Sócio da APPM – Associação Portuguesa dos Profissionais de Marketing


Representante da APAP (Associação Portuguesa Agências de Publicidade) no Conselho Técnico Consultivo da CAEM (Comissão de Análise de Estudos de Meios) para o meio Rádio – 2002/2008. Membro do Conselho Técnico Consultivo da CAEM (Comissão de Análise de Estudos de Meios) para o meio Imprensa, Radio e Internet – desde 1998/2008.

 

Ricardo Tomé – Responsável pelo Marketing Digital do Grupo RTP
Actualmente é responsável pela área de Marketing Digital e Interactividade Web da RTP, coordenando a gestão e extensão das marcas RTP e programas no sítio www.rtp.pt, bem como nas redes sociais.Esteve na génese do sítio da RTP, bem como passam por si algumas das principais parcerias internacionais (YouTube, Google, Facebook, Sapo-Vídeos, ...). Evangelizador de novas formas de comunicação, partilha e interactividade online, da web-analytics, creative-commons e ainda divulgador do modelo MoJo em acções de Informação (e.g. Eleições 2009), foi ainda o 1.º representante português convidado para o grupo criativo europeu TV Under 30's.


Docente das unidades curriculares de Gestão Estratégica de Redes Sociais e ainda Activação e Gestão de Comunidades da Pós-Graduação em Social Media Marketing no IADE, em Lisboa. Regularmente é também orador convidado para diversos encontros nacionais e internacionais relacionados com a Web Social e Crossmedia/Transmedia.

 

João Miguel Maia – Director geral da Karma Consulting
Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e Computadores, ramo de Sistemas de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico (Universidade Técnica de Lisboa). Desempenha actualmente funções como Director Geral da empresa Karma Consulting, tendo também a seu cargo a Direcção de Projectos assumindo a responsabilidade pela gestão e implementação dos projectos internacionais e nacionais de maior dimensão, como a implementação da plataforma colaborativa e social My-Currency (USA), framework de colaboração e gestão do conhecimento da PFI Knowledge Solutions e portal da Jane Press (UK), entre outros.


Foi Gestor de Projectos e Coordenador Sénior da área Microsoft da Edinfor-LogicaCMG e Gestor de Projectos na eB-Focus S.A. (grupo Tecnidata) sendo o responsável pela área de desenvolvimento de Intranets como o Portal Intranet do Exército Português, Portal Corporativo da Cimpor, SAMS, TVI, DGITA e outros, com tecnologia Microsoft SharePoint Portal Server e BizTalk Server. Colaborou na Deloitte Consulting como Consultor Sénior e Especialista/Arquitecto J2EE, no Projecto do banco BES (ESI) na re-engenharia e desenvolvimento de uma solução de grande dimensão para Gestão de Carteiras. Refere-se ainda a sua colaboração na empresa Think como Team Leader na implementação de uma plataforma para integração entre empresas no âmbito da empresa Alemã Ponton Consulting (Hamburgo).

 

André Zeferino – Senior Partner na Work Value (áreas Marketing research e Usability)

 

 

Orientação pedagógica e metodologia de ensino
Sendo um curso fortemente orientado para as empresas, a aprendizagem na Pós-Graduação em Social Media marketing é essencialmente prática. Para isso, foram seleccionadas as disciplinas fundamentais nos processos de diálogo e relacionamento na Web social, com um enquadramento e aplicação nos casos práticos que serão desenvolvidos.


Desta forma, assegura-se uma formação académica fortemente orientada para atingir resultados com elevado impacto no mundo profissional; garantindo aos seus alunos, não só uma rápida e consistente tomada de conhecimentos, como novas capacidades de gestão para o seu quotidiano profissional.

 

 

Avaliação
A avaliação será efectuada fundamentalmente a partir da aplicação prática dos conhecimentos adquiridos pelos participantes, tendo em conta as suas próprias experiências profissionais, com recurso a exames específicos, casos de estudo e trabalhos individuais ou de grupo com exposição e debate em aula.


A opção de vários workshops ao longo do ano lectivo, reforça ainda a componente prática do curso, permitindo aos alunos estabelecerem as devidas relações causa-efeito entre a teoria apreendida durante as aulas e as noções e experiências práticas partilhadas pelos profissionais convidados a participarem nas várias sessões.


Ao nível dos workshops destacamos as sessões exclusivas com algumas das empresas mais activas e influentes na media social: Facebook, Google, Portugal Telecom e Sapo, RTP, Marktest, entre outras.

 

 

Candidaturas
Número de inscrições limitadas a 25 alunos.
Requisitos de admissão ao curso passam por deter pelo menos uma Formação Superior ao nível da licenciatura ou, em alternativa, deter uma experiência profissional comprovada na área do marketing digital, da programação ou na criação e gestão de websites.

 


Documentação necessária:

  • Preenchimento de ficha de candidatura incluindo carta de motivação
  • Certificado de Habilitações
  • Currículo académico e ou profissional
  • Boletim de Vacinas
  • Fotocópia de BI e Cartão de Contribuinte ou Cartão de Cidadão
  • Entrevista com a comissão de admissão

O IADE reserva ainda o direito de solicitar uma prova de admissão (análise curricular académica e profissional, prova e entrevista).

 

 

Investimento
3200€
Processo de Admissão: 220€, até 30 de Junho de 2010 170€

 

Manual: PÓS-GRADUAÇÃO SOCIAL MEDIA MARKETING

Ficha de inscrição

 

Local de realização


IADE, Lisboa
Av. D. Carlos I , nº4
1200 Lisboa

 

Informações e inscrições: telmo.silva@talentuniversities.com
Telefone: 213939600

Horário de Atendimento: 2ª a 6ª das 14h30 às 20h

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Música do Anúncio ao Windows Phone 7

alguém sabe qual é?

=\

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Nokia + Pamela Anderson

O Nokia N8 está a concentrar as atenções do mercado, não só por incluir uma câmara de 12 MP mas também porque vai ser promovido pela Pamela Anderson.

Pamela Anderson vai promover Nokia N8

As expectativas em redor do lançamento do Nokia N8, o próximo terminal topo de gama da Nokia, baseado no sistema operativo Symbian^3 e com câmara de 12 MP, são grandes.

Segundo o Mashable, o dispositivo será lançado já a 30 de Setembro e para chamar a atenção para o terminal, a Nokia contratou Pamela Anderson e Ed Westwick para aparecerem num pequeno filme rodado inteiramente com o Nokia N8.

Não há grandes informações sobre o argumento do filme, apelidado de The Commuter, mas sabe-se que haverá um concurso que dará a oportunidade a dois fãs de entrar no mesmo.

humm... a Pamela Anderson a promover o novo N8 da Nokia?
das duas uma, ou a Pamela já é vintage, ou a marca finlandesa pode estar um pouco a ver uma estratégia que eu desconheço.
?

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Twitter lança serviço de URL's curtos próprio até ao final do ano

The initiative Twitter began back in June to make t.co the default URL shortener for all its users will be completed by the end of this year, said the company in an email it sent out to its entire user base on Wednesday night. The service hopes through this move to improve its security, which has suffered due to the sharing of links pointing to fraudulent sites or malware. But the move is also bad news for competing URL shorteners from third-party developers.

“In the coming weeks, we will be expanding the roll-out of our link wrapping service t.co, which wraps links in Tweets with a new, simplified link,” the company said.

The way in which a link is displayed using t.co will depend on which device it’s being displayed. For instance, a long link like http://www.amazon.com/Delivering-Happiness-Profits-Passion-Purpose/dp/0446563048 may be “wrapped” as http://t.co/DRo0trj when it’s displayed on SMS. But when displayed on the web or on an application, a longer version may be displayed. The longer version will either be the entire original URL, the page title or the original domain and part of the URL, i.e. amazon.com/Delivering-.

The service says this is being done to increase the transparency of shortened links and where they will actually take you.

In addition: “When you click on a wrapped link, your request will pass through the Twitter service to check if the destination site is known to contain malware, and we then will forward you on to the destination URL. All of that should happen in an instant.”

Twitter’s official link wrapper will be expanding to more and more users over the coming weeks, and will be the default for all accounts by the end of the year. This sounds like a good move for security on the service, but a bad move for competing URL shorteners like Bit.ly, which was the default shortener used by Twitter in the past. This isn’t the first time Twitter has caused strain to its relationship with the developer community that helped build out the functionality of its service, and it probably won’t be the last.

Finally, Twitter logs each time you click on a t.co wrapped link, and it’s been reported that the company will use that data in its Promoted Tweets algorithm. That is, the links you click on Twitter will determine the types of ads that are displayed to you on the system.

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

os touch screens do futuro

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

iPlayer - report e redesign - é daqueles posts quem nem pensar em perder!

« Previous | Main

BBC iPlayer Beta: Less is More

Post categories:

Fabian Birgfeld | 17:39 UK time, Wednesday, 1 September 2010

Good design is simple, reducing complex tasks to straightforward sequences of elegant interactions, making sure that there is no unnecessary step in the way.

The big design challenge for the next version of iPlayer was how to create this simplicity in light of more features and functionality without overwhelming our audience.

Let's consider the two basic tasks: find and play. The goal is to minimise our audience's time spent on the first task while maximising their time spent on the second one; ultimately discovery is just a means to enable people to watch their favourite show, which is why they come to the iPlayer in the first place.

Thus, the primary design challenge was to elegantly weave the new functionality and features into the iPlayer fabric while keeping the user interface simple. The following four design strategies informed our solution framework:

Navigation

We recognised that watching TV and listening to the radio are two different activities that respond to different user needs. The previous version of iPlayer mixed radio and TV content on each page. However, user data showed that very few people used the iPlayer for both at the same time. Radio and TV iPlayer use peaked at different times of the day and had little overlap. (Table 1 most likely overstates the overlap as the number reflect hardware not users).

Bar chart showing the majority of iPlayer users use either TV or radio but very few use both at the same time or in a single session.

Table 1: Average Daily BBC iPlayer Users

In other words, very few people are indifferent to whether they watch TV or listen to the radio when they come to the iPlayer. This makes sense as watching TV and listening to radio are not perfect substitutes; TV is an immersive experience that tends to get the audience's undivided attention while listening to the radio tends to complement other activities and is a less immersive experience. People come to the iPlayer to either watch TV or listen to the radio.

Chart of radio and TV usage against time.

Table 2: TV and Radio Use by Time of Day

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

ESTUDO / iPAD: para que está a ser usado o tablet da Apple?

The iPad was considered the No. 1 delivery method for newspapers and magazines, and its popularity for books was even greater: 41% of iPad owners preferred to read on the device, vs. 36% who liked hard copies better. iPads were also the top gaming device for owners of the tablets, beating out consoles by 2 percentage points.

Preferred Delivery Method for Reading Newspapers/Magazines Among UK iPad Owners, Aug 2010 (% of respondents)

Most users didn’t find iPads very portable, though. More than 60% said they rarely or never took their iPad when they left home, while just 5% did so always.

Podem ver todo o sumário do report no link acima da emarketer.com

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Nike e como uma campanha global reflecte já a sua inspiração e conceitos web

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Novo iPOD

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Campanha SONY VAIO

E que tal, em pleno boom da web 2.0 e das redes sociais, ser do contra? Just for fun!
=D

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Ah e tal serviço público de Tv sem publicidade em França........ pois, pois...

La publicité doit théoriquement disparaître avant 20 heures sur les chaînes publiques à partir de 2012.
AFP
La publicité doit théoriquement disparaître avant 20 heures sur les chaînes publiques à partir de 2012.

Les taxes sur les chaînes privées et les télécoms rapportent beaucoup moins que prévu et s'avèrent insuffisantes pour financer France Télévisions. Selon une information de La Tribune.fr vendredi 20 août, la question du financement de la télévision publique, dont Rémy Pflimlin prend la tête dimanche 22 août, est devenue à ce point délicate qu'elle pourrait être au programme de la réunion de l'exécutif à Brégançon vendredi.

Au départ, la suppression de la publicité en soirée sur les chaînes publiques, demandée par Nicolas Sarkozy, devait être financée par deux taxes sur le chiffre d'affaires des chaînes de télévision et des opérateurs télécoms. Mais ces taxes rapportent beaucoup moins que prévu : elles ont enregistré un total de 215 millions d'euros en 2009 (366 millions prévus en 2010), loin des 450 millions d'euros espérés, assure le quotidien. La taxe sur les chaînes n'a ainsi rapporté en 2009 que 28 millions d'euros (36 millions attendus en 2010), contre 80 millions prévus, TF1 ayant payé 9,3 millions, M6 3,9 millions, Canal+ 3,3 millions et France Télévisions près de 2 millions. Quant à la taxe sur les télécoms, elle n'a apporté au gouvernement que 186 millions en 2009 (330 millions prévus en 2010), au lieu des 380 millions par an annoncés.

"TAXES RABOTÉES SUITE À UN LOBBYING INTENSIF DES ENTREPRISES"

La Tribune voit deux explications à ces revenus insuffisants. "Ces taxes n'ont été imposées qu'à partir de l'entrée en vigueur de la loi sur l'audiovisuel public, le 5 mars 2009. Ensuite, elles sont prélevées chaque trimestre, et donc le dernier trimestre 2009 n'a pas contribué au budget 2009 mais 2010. Surtout, ces taxes ont été rabotées suite à un lobbying intensif des entreprises concernées. La taxe sur les chaînes, qui s'élevait initialement à 3 % des recettes publicitaires, a vu son taux réduit", explique le quotidien.

Les revenus de ces taxes ne devraient par ailleurs pas augmenter dans l'immédiat du fait d'une opposition politique à une partie de cette mesure. En avril, la suppression de la publicité en journée, programmée pour fin 2011 par la loi de mars 2009, a en effet été remise en question par les députés UMP, menés par Jean-François Copé. Le président du groupe UMP à l'Assemblée nationale estime ainsi que les finances actuelles ne permettent pas de se passer des revenus publicitaires de la journée. Un compromis pourrait donc être de repousser d'un ou deux ans la disparition totale de la publicité. Le gouvernement devrait arrêter sa position d'ici au début septembre dans le cadre du budget pluriannuel 2011-2013.

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Media stacking - conceito reforçado vai ganhando eco

Katherine Levy, 26 August 2010, 4:36pm

Research confirms TV viewers are media multitaskers

Almost two-thirds (58%) of people regularly mix their television viewing with other types of media, according to new research conducted online.

Media stacking: more people now browse the internet while watching TV
Media stacking: more people now browse the internet while watching TV

The data comes from online surveys of 2,086 people aged 18 to 55 for YouGov's social TV trends report, which was commissioned by social media agency Diffusion.

The habit, which Diffusion refers to as "media stacking", although it does not claim to have coined the phrase, describes the behaviour of consumers who use Facebook on their laptops, send text messages on their mobiles and listen to the radio, at the same time as watching TV.

It found that the habit is becoming normal practice and is particularly prevalent among 18- to 24-year-olds, with 76% saying they "regularly" browsed the internet while watching TV.  

Social networking sites are the most common distraction, with 40% of female TV viewers updating their profiles while watching TV, compared to 29% of men.

Almost half of all adults and 86% of 18- to 24-year-olds said they had used channels such as mobile SMS, Facebook or instant messenger to discuss what they were watching.

With TV and the internet set to converge further with new-generation TV sets, the report also asked consumers which websites they would most like to have access to through their TVs.

Google was the most popular site, with 28% stating they would like to access the search engine.  

A quarter of those surveyed said they would like to access online retail sites such as Amazon and Asos via their TV sets while watching programming. A similar percentage (26%) would also like to be able to access social networking sites like Facebook and Twitter.

Just over one in 10 adults claimed to use a video games console while watching TV content.

X


Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Ranking imprensa online no UK

Arif Durrani, 26 August 2010, 1:30pm

ABCes: Mail Online hits 44 million in July

Mail Online, the website for the Daily Mail and The Mail on Sunday, has reinforced its position as the UK's largest newspaper site, after being the only brand to increase its number of monthly users in July.

Mail Online: extended its lead in UK newspaper ABCes
Mail Online: extended its lead in UK newspaper ABCes

According to Audit Bureau of Circulations Electronic (ABCe) figures published today, Mail Online posted a 2.6% lift in monthly unique browsers to set a new record of 44,218,894.

Mail Online also recorded the largest year-on-year growth in monthly visitor numbers, up 48%. The site also achieved the most UK monthly users, with 15,943,521 domestic browsers during the month, equivalent to 36% of its online audience.

Elsewhere, the month of July, which included the final of the Fifa World Cup, saw numbers dip for the rest of UK's national newspaper sites.

Monthly browsers for second-placed Guardian.co.uk dropped 1.9% to 34,590,814, but were still up 28% year on year. The site for The Guardian and The Observer attracted 13,733,357 of unique monthly users, some 40% of its overall figure.

Falls were more pronounced at Telegraph.co.uk, where monthly browsers slipped 5.6% to 31,753,462. This equated to a 20% lift year on year. The right-wing newspaper also has a lower UK digital following than its peers, with 34% or 10,637,465 browsers.

The Independent.co.uk reported monthly falls of 2.6% to 10,320,996, a 23% lift since July 2009. Like the Guardian, some 40% of the site’s total browsers emanated from the UK, to total 4,720,891.

Meanwhile, the widely reported hunt, and ultimate death, of Raoul Moat was not enough to prevent falls for the only audited tabloid site either.  

Mirror Group Digital recorded July traffic down 1.7% from June to 10,989,690, representing only a modest annual rise of 5.6% from July 2009.

The site for the only red-top to publish its ABCe figures can boast the highest percentage of UK audience however: at 5,958,136, local advertisers will pleased to note more than half of its monthly uniques (54%) are based in the UK.

News International's rival Sun Online, along with stablemate Times Online, currently do not provide any transparent figures for online, following the company’s foray into paywalls.

ABCe Results July 2010
  July Month / month Year / year July
Online title  Global Daily Ave Daily % change Daily % change UK monthly total
MailOnline  2,494,916 0.38 43.98 15,943,521
guardian.co.uk  1,933,704 -5.05 30.14 13,733,357
Telegraph  1,623,290 -8.59 22.08 10,637,465
Mirror Group Digital  513,944 -2.58 3.66 5,958,136
The Independent  471,917 -4.15 22.21 4,720,891

A quem interessa, assim vai a imprensa no online no Reino Unido.

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

52 Semanas de Usabilidade

Sketch of a man flapping his arms

“You cannot not communicate. Every behaviour is a kind of communication. Because behaviour does not have a counterpart (there is no anti-behaviour), it is not possible not to communicate.”—Paul Watzlawick’s First Axiom of Communication

This is the first rule of UX. Everything a designer does affects the user experience. From the purposeful addition of a design element to the negligent omission of crucial messaging, every decision is molding the future of the people we design for.

As such, one of the primary goals of any good designer is communicating the intended message…the one that leads to a positive user experience. The copy-writing, the color of your text, the alignment of form labels, using all-caps or going lowercase on those navigation links—even the absence of a design pattern—are all part of this communication.

Knowing this, we can ask (and hopefully answer) the question, “Does this element support or contradict what I am trying to communicate to the user?” And by asking this you will find yourself refining and improving the little things; the things that often go unsaid or unnoticed, that ultimately make up the user’s experience.

"52weeksofux.com" é o blogue que descobri e que mais recentemente me tem feito investir algum tempo. 52 semanas = 52 posts. Em cada semana, uma reflexão sobre a usabilidade num vector específico, num total de 52 posts para reunir um ano de reflexão subjugado ao tema. Conceito simples e muito atractivo, mas sobretudo o principal: cada post é muito bom! Focados e reflectidos, uns mais sumarentos que outros, mas não demasiado extensos. síntese agradece-se. Parabéns à dupla de autores: Joshua Porter e Joshua Brewer.

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

P3 - Público

Vem aí o PÚBLICO P3, projecto de vertente exclusivamente online do jornal Público e que, ao noticiado pelo Jornal de Negócios, pretenderá ser durante 3 anos um projecto informativo destinado e focado nos targets 18-35 anos e com uma vertente experimental ao nível da abordagem web e das soluções tecnológicas, inclusive.

Para acompanhar.

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

www.penthouse.pt


A PENTHOUSE portuguesa arranca. Ou não arranca? Será que algum dia a PENTHOUSE mostra maior vitalidade económica que o título de Heffner e prova que é possível um título destes em Portugal? Há quem diga que sim.

A PENTHOUSE pode muito bem aproveitar a saída da Playboy, aprender com os erros da revista de Heffner e entrar no mercado português, sempre difícil, experimentando e provando que é possível uma revista maioritariamente masculina e erótica vencer no dificílimo enquadramento da imprensa actualmente.

POSTED BY Ricardo Tomé
DISCUSSION 0 Comments

Deloitte Report: Televisão e Social Media Amigos Para Sempre?

Posted by Richard Kastelein in Breaking News on August 26, 2010  |  0 Comments

The relationship between television and social media could become increasingly competitive, according to Deloitte, the business advisory firm, in a report published in conjunction with YouGov on behalf of the Media Guardian Edinburgh International Festival, taking place on 27-29 August.

Howard Davies media partner at Deloitte noted:

“The phenomenal pace at which social media and social networks have become entrenched within our everyday lives raises the question of their possible long-term impacts on television. The current relationship can be characterised as predominantly complementary, but limited in reach. The future relationship may be more adversarial, with advertising the battleground.

And the report suggests that the younger age groups reveal where there may be the greatest synergy between social networks and media - or essentially that this is the playground of Generation Y.

“While social networks and media do support each other, the synergy varies by genre and age. Programmes aimed at younger age groups tend to experience the greatest symbiosis: a few programmes and commercials become greater successes or are plucked from obscurity thanks to online peer recommendation.

“Among UK viewers it is still the exception rather than the rule to comment on a programme currently being watched on the web. However among 18-24 year olds the practice is more widespread and it is now becoming standard for programmes targeted at this age group to incorporate a social media and social network element. However while two fifths of this age group comments, of those who comment, almost all do this only “occasionally”.

“Membership of online fan groups is similarly niche, even though over 40 percent of the UK has now signed up to Facebook. Only 7 percent of those polled have become fans of their favourite programmes but among 18-24 year olds penetration is an impressive 46 percent.

Social Networks operate more as a recommendation engine than anything, with suggestions for 'what to watch' is the driving force.

“More typically social networks and media have served, organically and deliberately, to raise awareness of and to main interest in programmes. The key ingredient television offers to social media and networks is content to recommend, talk about and watch.

“If social chatter is sufficiently voluminous this catalyses a snowball effect as traditional and new media pick up on the story. This typically raises the value of content – a programme with strong social currency is generally of greater appeal to advertisers as it means their brand becomes associated with content that is both watched and talked about. But the majority of programmes with the highest ratings and adverts with the greatest recall have succeeded despite not having also been social media/ network sensations

Friends forever?

“While the current relationship between television and social media/networks is largely symbiotic, in the medium-term it has the potential to turn combative, with competition for audience time and advertising budgets steadily intensifying.

“As the reach, usage and value of social media and networks steadily rise, this could cause advertising budgets to get diverted from television. Over time, Web 2.0’s reach is increasingly looking like it may emulate that of television. Combine this with online’s precise targeting and real-time measurability, and advertising rates for social networks and media could increase, as they prove their efficacy and migrate to a cost per action model - which television would struggle to replicate.

“The twin genies of social media and social networks will not be popped back into their bottle. And this means that television needs to adapt to Web 2.0’s existence, exploiting its opportunities as much as it prepares against the threats.”

 

  

Comments (0)add comment
feed

Subscribe to this comment's feed


Write comment


busy

Next >

Uma das reflexões do momento.
E uma vez mais, até pela Deloitte, ninguém arrisca uma resposta fechada.

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Ferramentas para actualização entre redes sociais

7 Tools to Automate Your Social Media Management
There seems to be two types of people who use social media: Those who use automation tools to multiply their presences across the Internet and those who think auto-anything is a sin against nature.

That may be simplifying things a little, but it’s not too far fetched.

As for me, I fall somewhere in between the extremes – and I’m betting I’m not alone. Sometimes we need some tools to help us manage all our social networks. I understand that using some tools is considered obnoxious behavior by some people. But it’s a free Internet. You make your choices and live with them.

So if you think you can do this responsibly, here are seven social media management software tools to automate your updating and following:

SocialOomph

This website offers many free and premium services to help you manage your Twitter account. And by manage, I mean you can  schedule tweets, send automatic messages to those who follow you and follow all your followers automatically (Which I’m sure can cause a rip in the space-time continuum) for free. The full list of features will take a couple minutes to read.

Sending canned direct messages to welcome new followers is a bit controversial. To many, it’s Spam. Plain and simple. Others don’t mind and appreciate the contact. Those who do employ it swear by it. They say it helps them achieve high numbers of followers. The same goes for automatically following those who follow you.

My favorite though is the e-mail that rounds up all the tweets that manage any of my Twitter handles. Yes, it’s an exercise in ego gratification. I don’t care. I like it.

Hootsuite

Like SocialOomph, Hootsuite will automate your tweets. But it’s most useful feature is how it juggles multiple social media accounts. Not only can you create a dashboard that gives lets you monitor your Twitter accounts, but you can add your Facebook (this includes Facebook pages), LinkedIn, Ping.fm, WordPress blog, MySpace and FourSquare accounts. This is so integrated that you can write one update that goes to any and all of those social media timelines/pages.

I don’t want to do that, but I do use it to monitor and update accounts one at a time. It saves me time to round up all my social media activity onto one page.

TwitterFeed

One of the best ways to get people to read your blog is to send updates to your social networks when you write a new entry. But some people are lucky to get the blog post written. Then they have to write a tweet? Never fear. TwitterFeed comes to the rescue by monitoring your RSS feed and updating your Twitter and Facebook accounts when you update your blog. It’s not pretty but it gets the job done.

I do use this to update @CarlNataleRSS with all the feeds from various blogs I update. Basically, I made this account for my mother who doesn’t know about RSS but wants to keep track of what I write. So it doesn’t hurt my feelings that the account only has three followers.

Ping.fm

This is the granddaddy of updating every social media account in the world. One stop for all your accounts. And it will accept your SMS texts and e-mails for updating.

To be honest, I’m not that interesting that I would need this.

TweetBeep

TweetBeep rather modestly only sends you an e-mail when you – or keywords of your choosing – are mentioned on Twitter. So it’s like Google alerts. It’s great for reputation monitoring, keeping track of what people say about your competition and following specific interests.

Gist

Social networks are like potato chips. You can’t have just one. So if you want to keep track of what your friends and contacts are doing on their multiple networks (assuming they don’t have Ping.fm accounts), Gist will let you know about their latest tweet, post or like.

I consider it a light-weight contact resource manager. Since it also connects to my e-mail accounts, it keeps track of when I communicate with them. I know there are more powerful options out there, but this may be just enough for me.

RSS

OK, this isn’t a specific tool but a technology. One of Twitter’s nicer tendencies is to create RSS feeds for updates. If your RSS reader is how you keep track of the Internet, then add Twitter feeds. Not only can you monitor what any specific tweep posts, but you can have a feed of search results. Again, you can track any keyword.

This works very well for me in Google Reader. I can organize different feeds into categories. This all adds up to a very powerful dashboard. The big drawback is that the updates are delayed. The RSS feeds seem to update on a schedule so it doesn’t give real-time monitoring. Which is fine for me. Your mileage may vary.

For what it’s worth, I don’t see the value of using any of these tools to duplicate messages. Why would someone follow me on Twitter and Facebook if they get the same messages twice? I try to use the networks for specific purposes. But most of the value I get from these tools is in monitoring. There are some very powerful ways to sift through all of those streams.

How do you automate your social media management?

PG

Carl Natale

Carl Natale blogged and produced content for newspaper websites for 13 years before becoming self employed. Now he helps small businesses develop content for their websites and online marketing campaigns when he's not hiking, biking and kayaking.


http://j.mp/rRY6C" title="7 Tools to Automate Your Social Media Management">Retweet print

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments

Pós-Graudação: SOCIAL MEDIA MARKETING

 

Pós-Graduação
SOCIAL MEDIA MARKETING*

 

Coordenador: João Lemos Diogo

 

 

As redes sociais são o novo espaço público. Uma nova dimensão de diálogo a nível global. A Web social assume-se como uma nova janela de oportunidades para as empresas. Mas também representa uma dor de cabeça para as marcas que não sabem como participar nesta nova forma de dialogar. Saber como criar valor a partir das redes sociais tornou-se uma competência fundamental para todos os profissionais. Uma especialização única assegurada pela Pós-Graduação em Social Media Marketing que reúne os melhores profissionais e as empresas que lideram a Web Social.

 

Parceiros:

 

 

Porquê fazer esta Pós Graduação?
As redes sociais não só vieram para ficar, como são já uma nova forma de comunicar. A evolução da Internet levou a Web para uma nova dimensão. Deixou de ser apenas um canal de comunicação e distribuição, de importância inegável para a maioria das marcas. Passou a ser o ponto de encontro e de partilha. O espaço público das sociedades desenvolvidas. Um novo espaço social, à escala global.


É neste contexto que as marcas procuram respostas às novas questões. Como criar valor numa nova dimensão social, onde a publicidade tradicional não é bem acolhida, e cada vez menos eficaz? Como podem as marcas dialogar com os seus consumidores, numa conversa que é liderada e controlada por eles próprios? E como se pode articular um meio disruptivo e inovador, com a visão ainda industrializada da maioria das organizações?


Estas e outras questões, são o ponto de partida para a Pós Graduação em Social Media Marketing. Um curso que assegura aos seus alunos a aquisição das técnicas de marketing mais relevantes e eficazes para criar marcas mais fortes nas redes sociais. Articulando as mais importantes abordagens teóricas, com a aplicação prática a variadas marcas de diferentes sectores, este curso garante aos seus alunos o domínio e uma especialização única na gestão das redes sociais.

 


O que torna esta Pós-Graduação diferente?
A maioria dos cursos aborda a Internet num sentido muito generalista: do comércio electrónico ao webmarketing, dos direitos de autor à publicidade online, do design gráfico à programação. Esta Pós-Graduação tem uma preocupação mais objectiva e concreta: a gestão das redes sociais. E por isso, seleccionou as competências mais importantes e fundamentais para gerir marcas na Web social. Desta maneira, os alunos têm a certeza que vão apenas abordar as variáveis que são fundamentais para gerir e criar valor nas redes sociais.


A par do rigor científico e académico das várias unidades curriculares, esta Pós Graduação seleccionou ainda um corpo docente 100% composto por profissionais na gestão de conhecimento e das plataformas da Web Social. Desta maneira, este curso assegura que os seus alunos terão uma formação eminentemente prática e orientada para as necessidades das empresas, propondo as melhores soluções, para os problemas reais das organizações.


Aos alunos da Pós-Graduação em Social Media Marketing, é ainda assegurado um contacto directo com algumas das principais empresas que lideram a Web Social. Assim, este curso assegurou parcerias exclusivas com o Facebook, Google Portugal, Marktest, RTP, SAPO e Portugal Telecom, entre muitas outras empresas. Através de workshops intensivos, os alunos vão dialogar e trabalhar directamente com os líderes que marcam as tendências e a evolução futura da Web social, em Portugal e no Mundo.

 

 

Objectivos:
No final desta Pós Graduação todos os alunos serão capazes de dominar as técnicas mais relevantes para potenciar e criar marcas com mais valor a partir da Web Social.

 

  • Conhecer as necessidades, comportamentos e motivações dos consumidores online;
  • Aprender a diagnosticar e a definir um modelo e uma presença estratégica nas Redes Sociais;
  • Criar valor a partir dos relacionamentos criados na Web social entre a marca e os seus públicos;
  • Conhecer os principais e mais recentes casos de estudo de marcas nacionais e internacionais;
  • Aplicar com eficácia as mais comprovadas técnicas e campanhas de marketing para a Web social;
  • Construir e aplicar um plano de marketing e de gestão da marca aplicado às redes sociais.

 

 

Estrutura da Pós-Graduação:

Competências/
Curso

Conteúdos Genéricos

Carga Horária

Gestão Estratégica de Redes Sociais

  1. Estrutura e arquitectura das redes Sociais
  2. Selecção dos melhores canais para o diálogo com as marcas
  3. Definir e implementar um plano estratégico para a Web Social
  4. Gestão do Mix da Media Social
  5. Plano de marketing adaptado à Web Social

30h

Social Media Brand Marketing

  1. A Media Social no Mix de Comunicação
  2. A gestão da marca na Internet
  3. Criação de notoriedade e valor através das redes Sociais
  4. A comunicação da marca na Web Social
  5. Estratégias de gestão da marca nas redes sociais

20h

e-Consumidores

  1. O comportamento de consumo online e offline
  2. As motivações e retracções na Web social
  3. Os novos Grupos de consumo e de influência na Web
  4. As novas regras de segmentação e posicionamento

15h

Social Media Metrics

  1. Definição de objectivos e audiências
  2. Novos públicos e principais targets da Media Social
  3. Métricas para conteúdo, relevância e impacto
  4. Principais ferramentas de aferição e avaliação da Internet
  5. Desenvolvimento de uma estratégia de aferição de métricas tangíveis e intangíveis

15h

Activação e gestão de comunidades

  1. Potenciar a lealdade das marcas através das comunidades
  2. Construção, activação e gestão de comunidades online
  3. Definição e implementação de um plano de Community Building

20h

Social Media
Web Design

  1. Impacto do design no sucesso das acções de Media Social
  2. Social Networking Design: regras e princípios
  3. Usabilidade e experiência de consumo e interacção
  4. Integração do design da marca nas redes sociais
  5. Casos de estudo e exercícios de aplicação prática

15h

Social Networking Software

  1. Principais plataformas de software social e colaborativo
  2. Definição e selecção das melhores ferramentas de edição e comunicação online para empresas
  3. Selecção, definição e instalação em função da estratégia para as redes sociais

15h

Projecto aplicado

Aplicação prática das diferentes competências, técnicas e modelos apreendidos durante o curso com a realização de um plano integrado de Social Media Marketing, aplicado a uma empresa ou a uma marca

  1. Definição e implementação da estratégia mais adequada para a marca
  2. Criação de vantagens competitivas para a empresa através das redes sociais
  3. Definição do modelo de participação da marca na Web Social
  4. Criação e implementação de um plano de Social Media Marketing ajustado à empresa, ou às marcas de consumo.

20h

Workshop
“Web Analytics em Portugal”

  1. Segmentação e definição de audiências na Internet Portuguesa
  2. Aferir o sucesso de uma campanha na internet e avaliar o quadro de retorno possível
  3. Definição de metas e objectivos em linha com a estratégia da marca
  4. Conhecer as principais ferramentas nacionais de medição e avaliação de audiências na Internet

Participação especial: Marktest

2h

Workshop
“Build a Social Media Campaign”

  1. Conhecer as técnicas mais eficazes para activar uma campanha no Facebook
  2. Conhecer os principais casos de estudo nacionais e internacionais

Participação especial: Facebook

2h

Workshop
“Tendências e Inovação na Web Social portuguesa”

  1. Modelos de desenvolvimento do Maior portal nacional
  2. Ferramentas de comunicação e activação de comunidades com recurso a ferramentas portuguesas
  3. Gestão holística das redes sociais em Portugal

Participação especial: SAPO

2h

Workshop
“A Comunicação Social na Web Social”

  1. Comunicação social na Web social: oportunidades e desafios
  2. As fontes, o diálogo e o controlo da notícia nas redes
  3. Quando as marcas são a notícia na Web

Participação especial: RTP

2h

Workshop
“Potenciar o Capital da Marca através da Internet”

  1. Definir um mix de comunicação na Internet e nas redes sociais
  2. Executar uma estratégia de activação da marca a nível global
  3. Avaliar e aferir o retorno ao nível das acções, lealdade influências e consumo

Participação especial: Google

2h

 

Ano lectivo com uma carga horária total de 160 horas, dividido por 2 semestres.

 

Os participantes no programa obterão um total de 30ECTS (Créditos Académicos) que poderão utilizar posteriormente na conclusão da licenciatura / mestrado, à luz do novo enquadramento legal do Processo de Bolonha.

 


Realização das sessões e horário
Curso de frequência em regime Pós-Laboral.
Terças e Quintas-feiras, entre as 19h00 e as 23h00.

 

 

Corpo Docente (síntese curricular)
João Lemos Diogo, Responsável Marketing Corporativo e Gestão de Marca na RTP

Licenciado em Marketing e Publicidade pelo IADE, detém uma pós graduação em e-Business pela UAL e um MBA pelo ISCTE. Possui um Mestrado em Gestão de Empresas pelo ISCTE, com especialização na área da Gestão de Marcas e Capital da Marca. Prepara um doutoramento na área do capital da marca (brand equity).
É autor do livro «Marcating – Gestão Estratégica da marca», editado em 2008. Profissional activo nas áreas de marketing e gestão de marcas desde 1992, em empresas como a Sonae Distribuição, Impala Editores, Jazztel, Initiative e Brand Connection. Actualmente é responsável pela área de marketing Institucional e de Televisão da RTP, sendo responsável pela coordenação da gestão das marcas RTP1, RTP2, RTPN e RTP Memória. É docente das unidades curriculares de Gestão de marcas no IADE, e no IPAM em Lisboa, e coordenador da Pós-Graduação em Branding e Gestão de Marcas.


Francisco Pereira – Director de Research Carat Portugal e Social Media Consultant at Upageit

Formado em Marketing pelo Instituto Português de Administração de Marketing – IPAM, tem ainda uma especialização em Gestão de Negócios na Internet pela Universidade Católica Portuguesa. Trabalha activamente há 16 anos na área de Research de Agências de Meios, tendo integrado departamento de research de empresas como a TMP (The Media Partnership); Tempo Media/Tempo OMD; Carat. Desde sempre ligado ao Research e Planeamento de Media, esteve em contacto ou envolvido no planeamento estratégico de marcas/anunciantes como Unicer, Fima, Iglo, Lever-Elida Gibbs, Lever-Detergentes, Henkel, Ausónia, Portugal Telecom, Renault, Centralcer, TMN, Johnson & Johnson, Philips, Montepio Geral, Cofidis, Kellogs, GSK. É colaborador ocasional de Revistas/Jornais da área da Media e Publicidade – Meios e Publicidade, Briefing, Diário Económico, Jornal de Negócios, Expresso, Agência Lusa; é ainda orador convidado e conferencista regular em diferentes encontros e seminários.


Director de Research da Carat, pertencente ao universo AEGIS Media, que engloba em Portugal as unidades Carat e View/Isobar a unidade Digital.  Participa em termos Internacionais (Grupo Carat), em grupos de trabalho, para áreas como Research, Interactive e Novos Projectos. Social Media Consultant em alguns projectos (Upageit; Prodidáctico). Membro da ESOMAR – European Society for Opinion and Marketing Research - ESOMAR  desde Janeiro de 1996. Sócio da APPM – Associação Portuguesa dos Profissionais de Marketing


Representante da APAP (Associação Portuguesa Agências de Publicidade) no Conselho Técnico Consultivo da CAEM (Comissão de Análise de Estudos de Meios) para o meio Rádio – 2002/2008. Membro do Conselho Técnico Consultivo da CAEM (Comissão de Análise de Estudos de Meios) para o meio Imprensa, Radio e Internet – desde 1998/2008.

 

Ricardo Tomé – Responsável pelo Marketing Digital do Grupo RTP
Actualmente é responsável pela área de Marketing Digital e Interactividade Web da RTP, coordenando a gestão e extensão das marcas RTP e programas no sítio www.rtp.pt, bem como nas redes sociais.Esteve na génese do sítio da RTP, bem como passam por si algumas das principais parcerias internacionais (YouTube, Google, Facebook, Sapo-Vídeos, ...). Evangelizador de novas formas de comunicação, partilha e interactividade online, da web-analytics, creative-commons e ainda divulgador do modelo MoJo em acções de Informação (e.g. Eleições 2009), foi ainda o 1.º representante português convidado para o grupo criativo europeu TV Under 30's.


Docente das unidades curriculares de Gestão Estratégica de Redes Sociais e ainda Activação e Gestão de Comunidades da Pós-Graduação em Social Media Marketing no IADE, em Lisboa. Regularmente é também orador convidado para diversos encontros nacionais e internacionais relacionados com a Web Social e Crossmedia/Transmedia.

 

João Miguel Maia – Director geral da Karma Consulting
Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e Computadores, ramo de Sistemas de Computadores, pelo Instituto Superior Técnico (Universidade Técnica de Lisboa). Desempenha actualmente funções como Director Geral da empresa Karma Consulting, tendo também a seu cargo a Direcção de Projectos assumindo a responsabilidade pela gestão e implementação dos projectos internacionais e nacionais de maior dimensão, como a implementação da plataforma colaborativa e social My-Currency (USA), framework de colaboração e gestão do conhecimento da PFI Knowledge Solutions e portal da Jane Press (UK), entre outros.


Foi Gestor de Projectos e Coordenador Sénior da área Microsoft da Edinfor-LogicaCMG e Gestor de Projectos na eB-Focus S.A. (grupo Tecnidata) sendo o responsável pela área de desenvolvimento de Intranets como o Portal Intranet do Exército Português, Portal Corporativo da Cimpor, SAMS, TVI, DGITA e outros, com tecnologia Microsoft SharePoint Portal Server e BizTalk Server. Colaborou na Deloitte Consulting como Consultor Sénior e Especialista/Arquitecto J2EE, no Projecto do banco BES (ESI) na re-engenharia e desenvolvimento de uma solução de grande dimensão para Gestão de Carteiras. Refere-se ainda a sua colaboração na empresa Think como Team Leader na implementação de uma plataforma para integração entre empresas no âmbito da empresa Alemã Ponton Consulting (Hamburgo).

 

André Zeferino – Senior Partner na Work Value (áreas Marketing research e Usability)

 

 

Orientação pedagógica e metodologia de ensino
Sendo um curso fortemente orientado para as empresas, a aprendizagem na Pós-Graduação em Social Media marketing é essencialmente prática. Para isso, foram seleccionadas as disciplinas fundamentais nos processos de diálogo e relacionamento na Web social, com um enquadramento e aplicação nos casos práticos que serão desenvolvidos.


Desta forma, assegura-se uma formação académica fortemente orientada para atingir resultados com elevado impacto no mundo profissional; garantindo aos seus alunos, não só uma rápida e consistente tomada de conhecimentos, como novas capacidades de gestão para o seu quotidiano profissional.

 

 

Avaliação
A avaliação será efectuada fundamentalmente a partir da aplicação prática dos conhecimentos adquiridos pelos participantes, tendo em conta as suas próprias experiências profissionais, com recurso a exames específicos, casos de estudo e trabalhos individuais ou de grupo com exposição e debate em aula.


A opção de vários workshops ao longo do ano lectivo, reforça ainda a componente prática do curso, permitindo aos alunos estabelecerem as devidas relações causa-efeito entre a teoria apreendida durante as aulas e as noções e experiências práticas partilhadas pelos profissionais convidados a participarem nas várias sessões.


Ao nível dos workshops destacamos as sessões exclusivas com algumas das empresas mais activas e influentes na media social: Facebook, Google, Portugal Telecom e Sapo, RTP, Marktest, entre outras.

 

 

Candidaturas
Número de inscrições limitadas a 25 alunos.
Requisitos de admissão ao curso passam por deter pelo menos uma Formação Superior ao nível da licenciatura ou, em alternativa, deter uma experiência profissional comprovada na área do marketing digital, da programação ou na criação e gestão de websites.

 


Documentação necessária:

  • Preenchimento de ficha de candidatura incluindo carta de motivação
  • Certificado de Habilitações
  • Currículo académico e ou profissional
  • Boletim de Vacinas
  • Fotocópia de BI e Cartão de Contribuinte ou Cartão de Cidadão
  • Entrevista com a comissão de admissão

O IADE reserva ainda o direito de solicitar uma prova de admissão (análise curricular académica e profissional, prova e entrevista).

 

 

Investimento
3200€
Processo de Admissão: 220€, até 30 de Junho de 2010 170€

 

Manual: PÓS-GRADUAÇÃO SOCIAL MEDIA MARKETING

Ficha de inscrição

 

Local de realização


IADE, Lisboa
Av. D. Carlos I , nº4
1200 Lisboa

 

Informações e inscrições: telmo.silva@talentuniversities.com
Telefone: 213939600

Horário de Atendimento: 2ª a 6ª das 14h30 às 20h

nasceu!
=D

Posted via email from rictome

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments