De 24 para 25...

A noite de 24 de Dezembro para 25 é a noite mais negra para a música. Acreditem nisto que vos digo. Eu não estou errado. E se pensarem por 10 segundos, também vocês perceberão imediatamente porquê.

É que ocorre nessa noite o fenómeno incomensuravelmente doloroso da oferta de milhares, senão mesmo milhões por esse mundo fora, de péssimos CD?s, contendo péssimas compilações, horríveis best of?s e ainda arrepiantes versões de músicas que até então estavam imaculadas, perfeitas e cintilantes nas suas versões originais.

E isto é assim desde há décadas!
Meu Deus...
Será que ninguém pode parar isto!?

Já tenho visto, inclusive, algumas pessoas abrirem uma janela e porem uma vela acesa no parapeito, junto com um CD. Mas não acredito que isso baste. Precisamos unir-nos. Precisamos despir-nos e irmos para as ruas, nus, e envergarmos cartazes ao estilo PETA que reivindiquem o bom respeito pela música e o não abuso no mês de Natal por temas que nos são por demais queridos.

É que depois de ver os Clash ultrajadamente reenquadrados numa versão pan-pipe e depois de ouvir um álbum inteiro do Bob Dylan em versão-kenny-g-romântico-doce-que-até-enjoa, sinceramente, acho que cheguei ao cúmulo da minha paciência.

Quem quer vir para a Baixa em pelota?

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments