Sugestões Enólogas do Aprendiz: TERRAS D'ERVIDEIRA Branco 2006

Seguimos nos vinhos brancos, que isto os tintos estão a ser embalados para as feiras de Setembro e nessa altura em que o Outono estiver à porta teremos imenso tempo para degustar as surpresas que aí virão.


Desta vez, o Terras D'Ervideira, um vinho branco alentejano, colheita de 2006, a fazer jus ao lado 'forte' dos vinhos desta região, com 13,5º para um vinho que não justificava, a meu ver, tanta 'postura altaneira'.

Não sei o que deu aos produtores para agora insistirem nos vinhos com elevado teor alcoólico. Apesar de se beber bem fresco (de 6º a 8º, como se recomenda no rótulo) e de ser um vinho que ao sabor se sente leve e tranquilo, é impossível disfarçar a contrariedade que se segue. Com 13,5º toda esta suavidade cai por terra.


Eu explico-me.
No que toca à gastronomia, gosto de coisas com mau feitio; tal como gosto de coisas bonitas e delicadas. Gosto de pães toscos, tal como gosto de crépes e croissants estilo francês. Não gosto é lá muito de pão alentejano estilo francês...

Atenção: não quero com isto dizer que este D'Ervideira Branco seja um mau vinho; é um vinho que aliás se saboreia de forma cristalina na boca. Quero apenas dizer que ninguém precisa ter medo de que os apreciadores de vinho achem um vinho meio cobarde só porque tem menos 2º que a média da concorrência.

No meu caso, este D'Ervideira serviu exemplarmente para acompanhar um melão pingo-de-mel com umas fatias finíssimas de presunto. E por pouco mais de €3 tem-se assim um vinho de qualidade. Perde só mais uns pontinhos por não encher de forma completa o paladar no fim, mas não deixa de ser a escolha ideal para quem preferir néctares bem leves e muito, muito suaves. Tenham apenas cuidado com os 'efeitos secundários' ...

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN , ,
DISCUSSION 0 Comments