A arte de saber romper a regra

A promo-line livresca mais commumente usada e abusada é esta:
"Como usar as novas tecnologias sem que as novas tecnologias o usem a si"
ou:
"Como explorar a economia sem que a economia o explore a si"
ou:
"Como aproveitar o melhor dele sem que ele se aproveite de si"

E por aí adiante.
A vida, hoje, é feita assim, de chavões.
Copiamos frases feitas. Mudamos-lhes vírgulas. Damos um tom pastoral à coisa, outras vezes papal, semi-sábio, e já está. Passamos a ser emissores da frase do século. Nós e mais cem milhares pelo globo fora. E as provas aí estão, com esses livros a venderem tanto que a maioria de nós lhes esquece os nomes, deles e dos seus autores.

Dedico, por isso, o prémio de criatividade e arrojo ao Miguel Esteves Cardoso. Esse sim, com todo o mérito por saber romper com as massas e ter lançado, há alguns anos atrás, um livro de título "O Amor é Fodido".

Bem-hajas, Miguel.

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments