Big Books

Sempre que alguém me fala que leu um desses livros de 600 páginas, e mais, diz sempre que adorou.
Pudera!
São 600 páginas ou mais, caramba!
É uma vitória. Uma vitória pessoal. Uma grande conquista.
Significa que o desgraçado leitor andou cerca de um mês, a dois meses, a carregar com meio quilo de papel para todo o lado. Como é que não haviam de dizer que adoraram!? Somos todos masoquistas ou não somos? Claro que somos!
E a coisa está a alastrar-se.

Até os mais novos já estão viciados nisto. Dão-lhes Hiper-Disneys para as mãos e o resultado está à vista.

Não sei, mas creio que este fenómeno de paixão assombrada pelos livros grandes, que muita gente tem, deve ser coincidente com os puzzles. Devem ser as mesmas e exactas pessoas.

Quem ama livros grandes deve ser exactamente, inequivocamente, a mesmíssima pessoa que em frente de uma prateleira da Toy?s R? Us logo exclama:
-Ena!... Um puzzle de 3000 peças! Que cena! Vou levar para aí 3 meses a montar isto! Uau! Fixe! Vou comprá-lo já!

Se insistirmos neste ponto, até pode ser que sejam estas as mesmas pessoas a gostar tanto de sexo tântrico...

POSTED BY Ricardo Tomé
POSTED IN
DISCUSSION 0 Comments